Perguntas e respostas

O que é coronavírus?

Os coronavírus são uma extensa família de vírus que podem causar doenças em animais e humanos. Em humanos, sabe-se que vários coronavírus causam infecções respiratórias, que podem variar do resfriado comum a doenças mais graves, como a síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS) e a síndrome respiratória aguda grave (SARS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença de coronavírus COVID-19.

O que é a COVID-19?

COVID-19 é a doença infecciosa descoberta mais recentemente causada pelo coronavírus. Tanto o novo vírus quanto a doença eram desconhecidos antes do surto em Wuhan, China, em dezembro de 2019.

Quais são os sintomas da COVID-19?

Os sintomas mais comuns da COVID-19 são: febre, cansaço e tosse seca.

Alguns pacientes podem ter dores, congestão nasal, dor de garganta ou diarreia.

Esses sintomas geralmente são leves e aparecem gradualmente.

Algumas pessoas são infectadas, mas não apresentam sintomas e não estão doentes.

A maioria das pessoas se recupera da doença sem precisar de tratamento especial.

As pessoas idosas e as que têm determinadas doenças, como pressão alta, problemas cardíacos ou diabetes, têm maior probabilidade de desenvolver a forma mais grave da COVID-19 e têm dificuldade para respirar.

Pessoas com febre, tosse e falta de ar devem procurar atendimento médico.

Como a COVID-19 se espalha?

Uma pessoa pode contrair a COVID-19 do contato com alguém que está infectado com o vírus.

A doença pode se espalhar de pessoa para pessoa através de gotículas do nariz ou da boca, que são jogadas no ar quando uma pessoa infectada tosse, cospe ou mesmo fala. Para evitar esse tipo de contágio, deve-se manter uma distância segura de 1 metro entre as pessoas.

As gotículas também podem cair sobre objetos e superfícies, onde o vírus pode sobreviver. Caso alguém toque nesses objetos ou superfícies e, em seguida, tocar nos olhos, nariz ou boca, a contaminação pode ocorrer.

É possível contrair a COVID-19 em contato com uma pessoa que não apresenta nenhum sintoma?

O risco de contrair COVID-19 de alguém sem sintomas é muito baixo. No entanto, muitas pessoas com a COVID-19 apresentam apenas sintomas leves, principalmente nos estágios iniciais da doença. Nesse estágio, o contágio pode acontecer.

Quais são as medidas de proteção para pessoas que estão em áreas onde a COVID-19 está se espalhando ou que as visitaram recentemente (nos últimos 14 dias)?

Além das medidas de proteção para as demais pessoas, fique em casa se começar a sentir-se doente, mesmo que com sintomas leves como dor de cabeça, febre leve (37,3°C ou superior) e coriza leve, até se recuperar. Se você precisar sair de casa ou fazer uma visita (por exemplo, para obter comida), coloque uma máscara para evitar infectar outras pessoas.

Por quê? Evitar o contato com outras pessoas e as visitas aos centros médicos permitirá que os centros funcionem de maneira mais eficaz e ajudará a proteger você e outras pessoas contra possíveis infecções pelo vírus da COVID-19 ou outras pessoas.

Se você tiver febre, tosse e falta de ar, procure orientação médica rapidamente, pois isso pode ocorrer devido a uma infecção respiratória ou outra condição séria. Ligue com antecedência para a unidade de saúde e informe sobre quaisquer viagens recentes que você fez ou qualquer contato que tenha tido com viajantes.

Por quê? Ligar com antecedência permitirá que o seu atendimento seja direcionado rapidamente para o centro de saúde certo. Isso também ajudará a impedir a propagação de vírus e outras infecções.

Qual a probabilidade de se contrair a COVID-19?

O risco depende de onde você está e, mais especificamente, se um surto de COVID-19 está ocorrendo nesse local. Para a maioria das pessoas na maioria dos lugares, o risco de contrair essa doença permanece baixo. No entanto, sabemos que existem alguns lugares (cidades ou áreas) onde está se espalhando e onde o risco de contraí-lo é maior, tanto para as pessoas que moram nelas quanto para quem as visita. O Governo do Estado do Estado, a Secretaria de Estado da Saúde e autoridades locais de saúde estão monitorando todos os novos casos e casos suspeitos de COVID-19. É importante que todos respeitemos as restrições de viagens e as concentrações de massa de pessoas aplicáveis ​​a cada local específico. Se cooperarmos com medidas para combater a doença, reduziremos o risco de cada um de nós contrair ou espalhar a doença.

Conforme verificado na China e em outros países, é possível interromper os surtos de COVID-19 e encerrar sua transmissão. No entanto, a grande velocidade com que surtos novos surgem nos obriga a estar cientes da situação nos lugares onde estamos ou para onde pretendemos ir.

Devo me preocupar com a COVID-19?

Os sintomas do COVID-19 são geralmente leves, especialmente em crianças e adultos jovens. No entanto, eles também podem ser graves e forçar cerca de um em cada cinco infectados a se hospitalizar. Portanto, é bastante normal se preocupar com os efeitos que o surto de COVID-19 pode ter sobre nós e nossos entes queridos.

Essa preocupação deve nos ajudar a adotar medidas de proteção para nós mesmos, nossos entes queridos e as comunidades em que vivemos.

A principal e mais importante medida é a higiene regular e completa das mãos e do trato respiratório. Segundo, é importante manter-se informado e seguir os conselhos das autoridades locais de saúde, como as relacionadas a viagens, deslocamentos e eventos em que um grande número de pessoas pode estar concentrado.

Quem corre o risco de desenvolver uma doença grave?

Ainda há muito a se aprender sobre como a COVID-2019 afeta os seres humanos, mas parece que pessoas mais velhas e pessoas com condições médicas pré-existentes (como pressão alta, doenças cardíacas ou diabetes) desenvolvem casos graves da doença com mais frequência do que outros.

Os antibióticos são eficazes na prevenção ou tratamento de COVID-19?

Não. Os antibióticos não são eficazes contra vírus, apenas contra infecções bacterianas. A COVID-19 é causado por um vírus, portanto, os antibióticos não funcionam contra ele. Antibióticos não devem ser usados ​​como um meio de prevenir ou tratar a COVID-19.

Existem medicamentos ou terapias para prevenir ou curar a COVID-19?

Embora alguns remédios ocidentais, tradicionais ou domésticos possam proporcionar conforto e aliviar os sintomas da COVID-19, não há evidências de que os medicamentos atuais possam prevenir ou curar a doença. A OMS não recomenda a automedicação, principalmente com antibióticos, para prevenir ou curar a COVID-19.

Existe uma vacina, medicamento ou tratamento para a COVID-19?

Ainda não. Até o momento, não há vacina específica ou medicamento antiviral para prevenir ou tratar a COVID-2019. No entanto, as pessoas afetadas devem receber assistência médica para aliviar os sintomas. Pessoas com casos graves da doença devem ser hospitalizadas. A maioria dos pacientes se recupera com a ajuda de medidas de apoio. Possíveis vacinas e diferentes tratamentos farmacológicos específicos estão sendo investigados.

As maneiras mais eficazes de proteger você e outras pessoas da COVID-19 são: lavar as mãos com frequência, cobrir a boca com o cotovelo ou o tecido ao tossir e manter uma distância de pelo menos 1 metro com pessoas que tossem ou espirram.

Devo usar uma máscara para me proteger?

Se os sintomas respiratórios característicos da COVID-19 não aparecerem (especialmente tosse) ou se você não cuidar de uma pessoa que pode ter contraído essa doença, não é necessário usar uma máscara clínica.

Lembre-se de que as máscaras descartáveis ​​só podem ser usadas uma vez e que, se você não estiver doente ou não cuidar de alguém, estará desperdiçando uma máscara.

As maneiras mais eficazes de proteger você e outras pessoas da COVID-19 são: lavar as mãos com frequência, cobrir a boca com o cotovelo ou o tecido ao tossir e manter uma distância de pelo menos 1 metro com pessoas que tossem ou espirram.

Como colocar, usar, tirar e descartar uma máscara?

1. Lembre-se de que apenas profissionais de saúde, profissionais de saúde e pessoas com sintomas respiratórios, como febre e tosse, devem usar uma máscara.

2. Antes de tocar na máscara, lave as mãos com álcool gel ou água e sabão.

3. Inspecione a máscara quanto a rasgos ou furos.

4. Vire para cima (onde a tira de metal está localizada).

5. Certifique-se de apontar o lado correto da máscara (o lado colorido).

6. Coloque a máscara em seu rosto. Aperte a tira de metal ou a borda rígida da máscara para que ela se adapte à forma do seu nariz.

7. Puxe a parte inferior da máscara para cobrir a boca e o queixo.

8. Após o uso, remova a máscara; remova as tiras elásticas por trás das orelhas, mantendo a máscara afastada do rosto e das roupas, para não tocar nas superfícies potencialmente contaminadas da máscara.

9. Descarte a máscara em um recipiente fechado imediatamente após o uso.

10. Lave as mãos após tocar ou descartar a máscara. Use álcool gel ou, se estiverem visivelmente sujos, lave-os com água e sabão.

Quanto tempo dura o período de incubação da COVID-19?

O “período de incubação” é o tempo entre a infecção pelo vírus e o aparecimento dos sintomas da doença. A maioria das estimativas para o período de incubação da COVID-19 varia de 1 a 14 dias e geralmente é de cerca de cinco dias. Essas estimativas serão atualizadas à medida que mais dados estiverem disponíveis.

Meu animal de estimação pode me infectar com COVID-19?

Até o momento não há evidências de que um cão, gato ou qualquer animal de estimação possa transmitir a COVID-19.

Quanto tempo o vírus sobrevive na superfície?

Não se sabe por quanto tempo o vírus causador da COVID-19 sobrevive à superfície, mas parece se comportar como outros coronavírus. Estudos (incluindo informações preliminares disponíveis sobre o vírus da COVID-19) indicam que o coronavírus pode subsistir na superfície por algumas horas a vários dias. O tempo pode variar de acordo com as condições (por exemplo, o tipo de superfície, a temperatura ou a umidade do ambiente). Se você acha que uma superfície pode estar infectada, limpe-a com um desinfetante comum para matar o vírus e, assim, proteger a si e aos outros. Lave as mãos com álcool gel ou com água e sabão. Evite tocar nos olhos, boca ou nariz.

É seguro receber uma encomenda de uma área onde foram relatados casos de COVID-19?

Sim. A probabilidade de uma pessoa infectada contaminar itens comerciais é baixa e o risco de contrair o vírus que causa a COVID-19 do contato com uma embalagem que foi manipulada, transportada e exposta a diferentes condições e temperaturas também é baixo.

Existe algo que eu não devo fazer?

As seguintes medidas NÃO são eficazes contra a COVID-2019 e podem ser prejudiciais:

  • Fumar
  • Usar várias máscaras
  • Tomar antibióticos

De qualquer forma, se você tiver febre, tosse e falta de ar, procure atendimento médico o mais rápido possível para reduzir o risco de desenvolver uma infecção mais grave e informe o médico sobre suas viagens recentes.

Fontes: Organização Mundial da Saúde, Ministério da Saúde e Secretaria de Estado da Saúde